Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Flechada histórica! Chape segura San Lorenzo e está na decisão da Sula Após empatar fora de casa em 1 a 1, Chapecoense segurou o 0 a 0 na Arena Condá e está classificada para a grande final da Copa Sul-Americana de 2016

Gazeta Esportiva

Chapecoense escreveu a mais importante página de sua história nesta quarta-feira. Em uma Arena Condá pulsando e com recorde de público, o Verdão do Oeste segurou um empate heroico por 0 a 0 com o San Lorenzo e garantiu seu lugar em uma inédita final da Copa Sul-Americana.
O jogo teve sinais de nervosismo e emoção desde os primeiros minutos. A Chape contou com mais uma grande atuação do goleiro Danilo, que esteve presente em momentos cruciais. O principal deles no último lance do duelo, defendendo de maneira heroica com o pé direito um chute de Angeleri.
O adversário da Chape na grande decisão do torneio sairá do vencedor do duelo entre Atlético Nacional-COL e Cerro Porteño-PAR. As duas equipes decidem a vaga nesta quinta-feira, a partir das 22h45 (de Brasília), na Colômbia – a ida, no Paraguai, terminou com empate por 1 a 1.
Brazil's Chapecoense footballers celebrate after defeating Argentina's San Lorenzo during their 2016 Copa Sudamericana their 2016 Copa Sudamericana semifinal second leg football match held at Arena Conda stadium, in Chapeco, Brazil, on November 23, 2016. / AFP PHOTO / NELSON ALMEIDA
Empate sem gols garantiu classificação história da Chape a uma final continental (Foto: Nelson Almeida/AFP)
Início nervoso, com superioridade argentina
O início de partida foi muito nervoso. A Chape não conseguia segurar a bola e via o San Lorenzo controlar as ações. Logo no primeiro minuto, o time argentino finalizou a gol, mas parou no paredão defensivo alviverde.
Fazendo uma bela festa, a torcida fazia sua parte, pegando no pé da arbitragem e da equipe argentina, que não tinha sossego durante as trocas de passe.
Superior em campo, o San Lorenzo apostava nas jogadas pela lateral. A Chapecoense mostrava pouca criatividade e partia na base do sufoco, com bolas lançadas na área, mas sem efetividade.
O primeiro lance de perigo veio apenas aos 18 minutos: contra-ataque do San Lorenzo terminou com bola nos pés do lateral Más, que chutou de esquerda e parou em grande defesa de Danilo.
Foto: Nelson Almeida/AFP
Torcida da Chape fez bela festa na Arena Condá por vaga na decisão(Foto: Nelson Almeida/AFP)
Chape tem gol anulado e “acorda” em campo
O susto fez a equipe alviverde “acordar” em campo. Aos 25 minutos, após cobrança de falta na área, a bola foi desviada no primeiro poste e sobrou para Thiego mandar para o fundo da rede, levando a Arena Condá à loucura. A festa, porém, foi interrompida: o árbitro assistente assinalou impedimento do defensor alviverde e anulou o gol de modo correto.
A Chape cresceu de vez no jogo após o lance e passou a pressionar. Aos 31, Ananias bateu meio desajeitado e mesmo assim obrigou o goleiro Torrico a espalmar. No minuto seguinte, Thiaguinho recebeu livre na esquerda, mas mostrou nervosismo e acabou chutando para fora.
O time da casa adotava uma postura agressiva, mas falhava no momento de criar as jogadas. Com isso, sobravam correria e cruzamentos sem direção. O San Lorenzo tinha mais posse de bola, mas também pouco criava.
San Lorenzo pressiona no início do segundo tempo 
Por isso, o técnico Diego Aguirre não esperou e realizou uma troca logo no intervalo: saiu Corujo, entrou Blandi. E o meia mostrou estar inspirado ao sair do banco, levando perigo à Chape em um chute de fora da área aos cinco minutos. Danilo, bem postado, fez a defesa.
Precisando marcar para poder avançar, o San Lorenzo se manteve no ataque e passou a criar as melhores oportunidades, mesmo com as dificuldades e o jogo truncado no meio-campo. Aos 17 minutos, os argentinos acertaram a trave de Danilo em cabeçada de Más.
Jogo equilibrado e emocionante na reta final
Preocupado com o fraco rendimento do ataque da Chape, o técnico Caio Junior decidiu trocar Thiaguinho por Lucas Gomes. Em seu primeiro lance, aos 23, o atacante que saiu do banco obrigou Torrico a se esticar todo para pegar um chute no ângulo, em jogada que levantou os ânimos do time da casa.
O jogo era lá e cá. O goleiro Danilo voltou a entrar em ação para salvar a Chape aos 29 minutos, saindo com precisão nos pés de Cauteruccio, que havia recebido com liberdade na área e saía na cara do gol. A resposta alviverde veio aos 32. Lucas Gomes fez grande jogada pela direita e rolou para Josimar, que chegou batendo em cima da defesa.
(Foto: Nelson Almeida/AFP)
Com grandes defesas, Danilo foi o herói da classificação (Foto: Nelson Almeida/AFP)
O San Lorenzo não tinha outra alternativa senão partir na base do sufoco nos minutos finais e deixar a defesa aberta. A Chape tentava encaixar um contra-ataque para matar o jogo, mas pecava no momento de encaixar as jogadas. Com isso, o jeito era se segurar como podia.
No último minuto, o time argentino tirou o último suspiro da torcida catarinense. Após cobrança de falta na área, a bola sobrou limpa para Angeleri, que bateu rasteiro, mas parou no pé milagroso de Danilo, que mais uma vez salvou o Verdão do Oeste e colocou a equipe na decisão.
FICHA TÉCNICA
CHAPECOENSE 0 X 0 SAN LORENZO
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Data: 23 de novembro de 2016, quarta-feira
Árbitro: Daniel Fedorczuk (URU)
Assistentes: Miguel Nievas e Richard Trinidad (URU)
Público: 17.569 torcedores
Renda: R$ 569.940,00
Cartões Amarelos: Gil, Cleber Santana e Josimar (Chapecoense); Angeleri, Caruzzo, Angeleri e Blandi (San Lorenzo)
GOLS: nenhum
CHAPECOENSE: Danilo; Caramelo, Thiego, Neto e Dener Assunção; Josimar, Gil (Sérgio Manoel) e Cleber Santana; Tiaguinho (Lucas Gomes), Kempes (Bruno Rangel) e Ananias
Técnico: Caio Junior
SAN LORENZO: Navarro; Angeleri, Coloccini, Caruzzo (Paulo Diaz) e Más; Corujo (Blandi), Ortigoza, Mussis (Ávila) e Blanco; Cauteruccio e Cerutti
Técnico: Diego Aguirre
Postar um comentário