Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Dana diz que Werdum recusou lutas com Cigano e Overeem no UFC 207 Chefão conta que brasileiro e holandês foram oferecidos como opções de substituição a Velásquez. "Vai Cavalo" rebate: "Pedi apenas um bônus para a troca de oponente"

Por Las Vegas, EUA

Dana White UFC 207 (Foto: Evelyn Rodrigues)Dana White se mostrou irritado com Fabricio Werdum e Cain Velásquez em entrevista (Foto: Evelyn Rodrigues)
Dana White não está nada feliz com Cain Velásquez e Fabricio Werdum. Os pesos-pesados estavam escalados para se enfrentarem pela segunda vez no UFC 207, que acontece nesta sexta-feira, em Las Vegas, mas o duelo acabou cancelado seis dias antes do evento, depois que o americano foi impedido pela Comissão Atlética de Nevada de permanecer no card por razões médicas.
Em entrevista ao Combate.com, o brasileiro Junior Ciganoafirmou que se ofereceu para substituir Velásquez, mas que o duelo não foi aceito por Werdum, que negou a informação e ainda cutucou o ex-rival. Em bate-papo com a imprensa, nesta quarta-feira, em Las Vegas, o presidente do UFC não só confirmou que o duelo contra Cigano foi oferecido, como afirmou que o ex-campeão dos pesados negou enfrentar outro adversário: Alistair Overeem.
- Werdum recusou duas lutas. Uma delas foi contra o Junior Cigano. Werdum recusou essa luta. Há diferentes jeitos de se recusar uma luta. Eu posso ligar e dizer “Você quer essa luta?". E a pessoa responder: “Não, eu não quero essa luta”. Ou a pessoa pode dizer: “Sim, por US$ 800 mil e participação no pay-per-view”. Isso é recusar uma luta. E aí oferecemos uma luta contra o Alistair Overeem no Brooklyn e ele recusou - declarou o chefão, que também afirmou que "Vai Cavalo" não receberá nem parte da bolsa por não lutar.
O presidente do UFC também pareceu bastante irritado ao ser questionado sobre a situação de Velásquez. Uma semana antes da luta, o atleta da AKA (American Kickboxing Academy) concedeu uma entrevista à ESPN americana afirmando que estava sofrendo com dores nas costas e que não conseguia ficar mais de 10 minutos em pé. Posteriormente, ele negou que não tivesse condições de lutar e continuou postando mensagens em suas redes sociais afirmando que havia sido liberado pelo médico para enfrentar Werdum na sexta-feira.
- O médico dele nos disse que ele tinha uma cirurgia agendada porque ele estava lidando com dor, o que é completamente normal para o tipo de lesão. O que o Cain não havia nos dito é que ele não conseguia ficar em pé por 10 minutos. O Jeff Novitzky ( vice-presidente de Saúde e Performance dos Atletas do UFC) estava lá e disse que o Cain estava tendo dificuldade até para se levantar e sentar no consultório médico. Não havia a menor possibilidade dele lutar agora.
Questionado se achava que Velásquez havia dado a entrevista de forma proposital, buscando uma forma de ser retirado do card, Dana deu a entender que acredita que sim:
- Eu acho que aquela entrevista aconteceu e ele foi honesto. Talvez ele não tenha pensado que isso fosse acontecer. Toda vez que um cara perde uma luta, ele diz: “Ah, quebrei as costas”,  ou “Ah, estourei o joelho há duas semanas” ou “Torci o tornozelo”, mas esses caras dizem DEPOIS da luta. Se você disser isso antes da luta, você será retirado do card. Leia a entrevista. Não parecia que ele queria lutar. Quando você é um lutador e dá uma entrevista dias antes da luta dizendo que você não pode ficar em pé por mais de 10 minutos, isso é insano! Primeiro, esta é a melhor organização de lutas do mundo, ele está lutando contra um dos melhores lutadores do mundo e essa tem 15 minutos. Se você não pode ficar de pé por 10 minutos, o que você vai fazer nessa luta? Sabe o quão irresponsável seria, não só para o UFC, mas para qualquer Comissão Atlética do mundo, permitir que essa luta acontecesse? Não faria o menor sentido! Eu amo o Cain. Ele é um dos caras mais bacanas que você pode conhecer, mas se você ler aquela entrevista, não parece que ele queria lutar.  
WERDUM REBATE DANA

mensagem Dana; Werdum (Foto: Reproducao Instagram)Werdum publicou mensagem enviada a Dana (Foto: Reproducao Instagram)
Momentos após a entrevista de Dana White, Fabricio Werdum conversou com o Combate.com por telefone sobre as declarações do presidente do UFC. O peso-pesado contou que realmente pediu um bônus para aceitar a mudança de adversário antes do UFC 207, mas afirmou que não se negou a lutar.
- O Dana White é o presidente do evento, ele vai falar o que quiser e todo mundo vai acreditar. É verdade que eu pedi os US$ 800 mil mais pay-per-view para continuar no card, afinal, como é que eu vou aceitar uma luta com uma semana de antecedência contra um lutador completamente diferente do meu adversário? Mas essa do Overeem não chegou até mim. O meu empresário na verdade não me passou tudo, se essa conversa aconteceu não chegou até mim. Eu pedi um bônus para poder aceitar a mudança de oponente e de estratégia, porque faltava menos de uma semana para a luta. Não estou passando fome para aceitar qualquer luta, ainda mais depois de me preparar para uma luta durante três meses. Não sou obrigado a aceitar, ainda mais pelo que eles queriam me pagar - declarou.
O lutador, que passa férias nas montanhas com a família, também afirmou que estava confiante de voltar a lutar em breve e postou nas redes sociais um print de uma  mensagem enviada a Dana White no dia 24 de dezembro.
"Eu acho que foi um mal entendido. Não sabia que havia gente interessada em me enfrentar e eu não recusei em nenhum momento. Mais uma vez, eu não sabia. Por favor, me diga se você tem tempo para falar sobre isso, porque estou pronto para enfrentar qualquer um. Você aceitaria me pagar US$ 500 mil mais pay-per-view? Eu enfrento qualquer um porque quero provar para você que sou parte da família UFC. Por favor, me diga o que acha" - escreveu Werdum na mensagem, que não foi respondida por White.

VELÁSQUEZ TAMBÉM COMENTA
Cain Velasquez fala após corte do UFC 207 (Foto: Editoria de Arte)Cain Velásquez dá sua versão do corte da luta contra Werdum, no UFC 207 (Foto: Editoria de Arte)
Após as declarações de Dana White, Cain Velásquez foi à internet dar sua versão dos fatos. Em sua conta em uma rede social, o ex-campeão peso-pesado fez um longo desabafo, explicando a sequência dos fatos que culminaram com sua exclusão do card do UFC 207. No texto, o lutador da equipe AKA fala que "talvez tenha sido transparente demais" na entrevista dada à ESPN, porém, elogia o "profissionalismo" da Comissão Atlética de Nevada durante todo o processo. 
- Como podem imaginar, as adversidades dos últimos dias têm sido muito duras. Contudo, durante toda a minha carreira, vocês (fãs) foram testemunhas que sempre fui transparente. Gostaria de dizer que ninguém está mais desapontado por não participar no UFC 207 do que eu. Lutar é algo que gosto de fazer e, infelizmente, circunstâncias fora do meu controle não me permitem entrar no octógono - escreveu Cain.  
O peso-pesado detalha os fatos ocorridos desde o dia 21 de dezembro, quando falou sobre a dor no nervo ciático, as injeções de cortisona oferecidas e a cirurgia marcada para cessar as dores. Cain Velásquez passa ainda pela troca de informações com a Comissão de Nevada, com envio de exames feitos para provar que estaria apto a lutar, e termina com a surpresa por saber que estava fora do UFC 207 pela internet. 
- Eu e minha equipe fizemos tudo o que estava ao nosso alcance para estar no UFC 207. Talvez tenha sido muito transparente na minha entrevista, mas eu sou assim. Não vou medir minhas palavras, ainda mais quando meus médicos e eu sabemos que estou pronto para lutar. O treino de MMA é muito duro e todos os lutadores entram no octógono com dores e exaustos. Esse é o negócio. Mas, neste momento, não há mais nada que se possa fazer. E quero terminar dizendo que, poucas semanas depois da minha cirurgia, estarei pronto para voltar e retomar o meu cinturão - encerrou Velásquez.    
O canal Combate transmite o UFC 207 nesta sexta, ao vivo e com exclusividade, a partir de 22h30. O Combate.com acompanha todos os detalhes do show em tempo real, além de exibir os dois primeiros duelos do card preliminar. 

UFC 207
30 de dezembro em Las Vegas, EUA
CARD PRINCIPAL (a partir de 1h30, horário de Brasília)
Peso-galo: Amanda Nunes x Ronda Rousey
Peso-galo: Dominick Cruz x Cody Garbrandt
Peso-galo: TJ Dillashaw x John Lineker
Peso-meio-médio: Dong Hyun Kim x Tarec Saffiedine
Peso-mosca: Louis Smolka x Ray Borg
CARD PRELIMINAR (a partir de 22h30, horário de Brasília)
Peso-meio-médio: Johny Hendricks x Neil Magny
Peso-médio: Antônio Cara de Sapato x Marvin Vettori
Peso-meio-médio: Mike Pyle x Alex Garcia
Peso-meio-médio: Alex Cowboy x Tim Means
Peso-meio-médio: Brandon Thatch x Niko Price
Postar um comentário