Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

quarta-feira, 15 de março de 2017

Fluminense sofre, mas vence o Criciúma e avança na Copa do Brasil

O retorno do Fluminense ao Giulite Coutinho teve de tudo. Sofrimento, golaços, susto no fim e, com o apito final, alívio da torcida tricolor pela classificação na Copa do Brasil.
O Tricolor venceu por 3 a 2 o Criciúma e está na quarta fase da competição. Douglas, Henrique Dourado e Sornoza fizeram os gols diante do Tigre nesta quarta-feira. Giaretta e Silvinho descontaram para os visitantes. O próximo adversário do Fluminense será conhecido através de sorteio. 
O time de Abel, que ainda não havia comandado o Tricolor em Edson Passos, não estranhou o palco. Os três atacantes subiram a marcação e o Criciúma teve problemas na saída de bola. Como a troca de passes não estava funcionando, Richarlison abusou da individualidade e levantou a torcida pela primeira vez. O camisa 70 driblou dois, invadiu a área e caiu. Leandro Vuaden mandou seguir. 
O lance acordou o Flu e a pressão aumentou. Foram 10 minutos intensos, o suficiente para abrir 2 a 0 no placar. O primeiro gol foi de Douglas, mas o mérito precisa ser dividido com Léo, que fez grande jogada pela esquerda e achou o volante na entrada da área. 
A batida de Douglas, de pé esquerdo no ângulo, foi clássica. Minutos depois, Richarlison foi derrubado outra vez na área e, dessa vez, o árbitro viu pênalti. Henrique Dourado teve tranquilidade para deslocar o goleiro Edson e fazer 2 a 0. A vantagem não fez bem ao Flu. 
O Criciúma aproveitou a apatia do time adversário, que achava que o confronto já estava resolvido, e foi para cima. A bola não parou de pingar na área de Cavalieri, que mostrou segurança ao cortar os cruzamentos. 
Renato Chaves, que fez uma boa partida, deu uma vacilada e Diego Giaretta, após bate-rebate dentro da área, não perdoou: 2 a 1. A pressão passou a ser do Tigre, que não empatou com Caio Rangel por um capricho. O toque que encobriu o goleiro do Flu saiu forte demais. 
O Flu voltou sem Douglas, lesionado, e a segunda etapa reiniciou como a primeira: Criciúma rondando a área tricolor. Foram escanteios em sequência e Cavalieri teve muito trabalho, mas foi bem. O Tricolor vivia seu pior momento dentro do jogo e o empate - que daria a classificação ao Tigre - parecia inevitável, mas a estrela do garoto Léo voltou a brilhar. 
O lateral mais uma vez partiu para dentro da marcação e dessa vez encontrou Sornoza. O equatoriano imitou Douglas e fez o terceiro, para alívio de Abel Braga & Cia. 
O gol acabou com a organização do time de Deivid, que também perdeu a esportiva. A defesa começou a abusar das faltas duras. Richarlison, Sornoza e Wellington Silva foram os principais alvos de João Henrique e Raphael Silva, que fizeram hora extra no gramado. 
Marcos Junior entrou com tudo e chegou a balançar a rede adversária, mas o impedimento foi marcado. Antes dele, Renato já havia emendado de voleio, mas a irregularidade também foi assinalada. Richarlison teve a chance de matar o jogo, mas frente a frente com Edson o camisa 70 finalizou mal. 
Para aumentar o drama, Silvinho descontou no rebote de Cavalieri: 3 a 2 aos 42 minutos. O sofrimento tricolor durou até aos 50 minutos, quando Vuaden apitou pela última vez para alívio da torcida tricolor no Giulite Coutinho. 

Fonte: Lance
Postar um comentário