Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

domingo, 19 de março de 2017

Mineiro finaliza mexicano em noite de domínio brazuca e nocautes no Brave Lucas se recupera de primeiro round ruim para finalizar Fabian Galvan com um triângulo de mão. Das dez lutas do card do evento árabe, brasileiros vencem nove

Por Direto de Curitiba

Lucas Mineiro fechou em grande estilo a noite do “Brave 3 - Batalha no Brasil”, evento árabe que neste sábado estreou no país no ginásio Max Rosenmann, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Num card com 20 lutadores, oito deles estrangeiros, o lutador da Chute Boxe garantiu quase 100% de aproveitamento dos brasileiros na noite, depois de finalizar o mexicano Fabian Galvan com um triângulo de mão, aos 4m42 do segundo round, no peso-pena. Mineiro, que passou pelo UFC, agora soma 19 vitórias e três derrotas no cartel. Na noite, nove brasileiros venceram nas dez lutas.
- Como falei, trocou de adversário, do Norte paro o Sul, para um cara que gosta de derrubar para um que gosto de trocar. Quero agradecer por essa luta não ter caído, respeito muito meu adversário. Ao Brave, só tenho a agradecer, vou ser a estrela do seu evento. Quero pedir ao Sheik (...) a minha passagem para Abu-Dhabi, quero estar lá diante do campeão. Na verdade, esse cinturão é meu, vou lá busca-lo - disparou.
Galvan começou a luta mais solto que o brasileiro, e logo entrou com um cruzado no contragolpe. O mexicano era mais preciso, enquanto Lucas Mineiro se mostrava afobado. No segundo round, mais um cruzado de Galvan entrou, mas Mineiro se mostrou mais solto ao responder em seguida do mesmo jeito que o rival. Logo depois, o brasileiro encurralou Galvan na grade, ele sente os golpes e cai, até que Mineiro laça o seu pescoço e gira para finalizar.
Lucas Mineiro x Fabian Galvao Brave 3 (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)Lucas Mineiro finalizou Fabian Galvan com um triângulo de mão no Brave 3 (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)

“MOÇAMBIQUE” ATROPELA THIAGO MONSTRO
Carlston “Moçambique” Harris não tomou conhecimento de Thiago Monstro, em luta no peso-meio-médio, e foi implacável com o adversário, vencendo por nocaute com 1m04 do segundo round, no co-evento da noite do Brave 3. Agora, o lutador da equipe RFT tem 11 vitórias e três derrotas em seu cartel.
- Ele é um garoto forte, e foi por isso que vim à procura de um nocaute. Quero lutar novamente no próximo mês. Estou pronto - disparou o lutador ainda dentro do cage.
Moçambique começou a luta espremendo Monstro na grade, e não soltou mais do adversário, que tentava se livrar para respirar. Quando conseguiu, viu o lutador da Guiana conectar cruzados e ganchos, até grudar novamente em Monstro na tentativa de o derrubar. No segundo round, na trocação, Carlston foi para cima e seus cruzados levaram Thiago Monstro para o chão, onde Moçambique terminou o serviço com uma sequência de socos e marteladas por cima do adversário.
Carlston Harris x Thiago Monstro Brave (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)Carlston Harris massacrou Thiago Monstro no co-evento do Brave 3 (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)

EM CASA, PIRATA FAZ A FESTA EM LUTA QUENTE
Marco Pirata, que caminhou para o cage com seu novo companheiro de estimação, uma calopsita, mostrou que não estava no card principal do Brave apenas como figurante. Curitibano, ele contou com uma grande torcida organizada - e animada - para vencer o sul-africano Jeremy Smith por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28), em duelo do peso-médio. Pirata chegou a 14 vitórias na carreira, e tem ainda quatro derrotas.
No primeiro round, Pirata logo conseguiu grudar nas costas de Smith, buscando a finalização. O sul-africano escapou da posição e voltou para onde se sente mais confortável, na trocação. Pirata trabalhava mais os chutes, e foi mais efetivo que o adversário. No segundo round, os dois lutadores começaram optando pela luta em pé, até que Pirata conseguiu quedar o rival e grudar nas suas costas mais uma vez, mas novamente sem conseguir laçar o pescoço.
No round decisivo, Jeremy Smith partiu para cima do brasileiro logo no início e conectou uma sequência de cruzados em Pirata. Ao escapar, o brasileiro procurou as pernas do adversário e o derrubou mais uma vez, mas Smith logo se livrou. Em seguida, levou Pirata para grade e encaixa outra boa sequência de golpes. Pirata absorveu todos os cruzados e mostrou que o fôlego estava em dia, e que não iam o derrubar facilmente. No fim da luta, nova queda do brasileiro, só que Smith saiu da posição desfavorável e ficou por cima, trabalhando com força no ground and pound. Pirata resistiu bem por baixo até o soar do gongo.
Marco Pirata x Jeremy Smith (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)Marco Pirata (short roxo) e Jeremy Smith fizeram uma luta cheia de trocação (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)

LUAN “MIAU” VENCE NO PRIMEIRO ROUND
Numa das lutas mais aguardadas da noite em Curitiba, Luan “Miau” Santiago fez valer a torcida a seu favor e nocauteou o mexicano Ivan Castillo com apenas 2m23 de luta no peso-leve. O lutador da CM System, equipe da capital paranaense, agora tem 11 vitórias e duas derrotas no cartel.
Luan começou a luta esquivando e encontrando boas saídas nos contragolpes, e deixando claro que buscaria o nocaute. Antes disso, um susto. O brasileiro andou para trás numa esquiva e se desequilibrou, até se escorar na grade, mas o mexicano não aproveitou a oportunidade. Luan, na sequência, ficou por cima de Castillo no chão e chegou a ter posição para trabalhar no ground and pound. O mexicano deu-lhe as costas, mas logo ficou novamente de frente para Miau, que enfileirou uma sequência pesada de socos contra o rival caído na grade, e que só terminou com a interrupção do árbitro.
Luan Miau x Ivan Castillo Brave (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)Luan Miau venceu Ivan Castillo por nocaute, ainda no primeiro round (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)

MORCEGUINHO CHEGA À 33ª VITÓRIA
A torcida paranaense, que se acostumou com nocautes e uma finalização nas cinco primeiras lutas do Brave 3, não gostou de ver os juízes decidirem o sexto combate da noite, no qual deram a vitória a vitória a Júlio César “Morceguinho” diante de Fernando Colman (30-27, 30-27, 29-28), em luta de peso-combinado. A torcida chegou a vaiar os lutadores por falta de combatividade. Morceguinho, de apenas 22 anos e com passagem pelo Bellator, chegou à 33ª vitória num cartel que tem apenas uma derrota.
No primeiro round, Colman conseguiu levar Morceguinho para o chão, mas sem tanta efetividade na hora de tentar trabalhar o ground and pound. Nos dois rounds seguintes, Morceguinho foi mais efetivo ao tomar as ações do combate, sempre à procura do adversário e conectando chutes e cruzados.
Morceguinho x Fernando Colman (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)Morceguinho, aos 22 anos, tem 33 vitórias na carreira profissional no MMA (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)

FELIPE EFRAIN NOCAUTEIA AMERICANO EX-UFC
O peso-galo Felipe Efrain, uma das principais apostas da Chute Boxe comandada por Diego Lima, nocauteou o americano e ex-UFC Walel Watson, com 2m10 do segundo round da primeira luta do card principal do Brave 3. Com um gancho que acertou em cheio os rins do adversário, Felipe viu o árbitro encerrar o combate na queda de Watson. O brasileiro chegou à 11ª vitória na carreira, que tem duas derrotas.
No início da luta, a maior envergadura e as longas pernas do americano levaram perigo a Efrain, mas o brasileiro conseguiu espremer o adversário na grade e trabalhou até leva-lo para o chão. O brasileiro, em seguida, levantou e trabalhou chutes no adversário. No segundo round, Efrain conseguiu nova queda e pontuou tanto no chão como de pé, repetindo a cena do round anterior, com Watson tentando se defender deitado. Quando a luta voltou a ficar de pé, Efrain foi para cima do rival e encontrou um gancho certeiro os rins de Watson, o levando a nocaute.
Felipe Efrain Brave 3 (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)Felipe Efrain nocauteou Walel Watson, que já passou pelo UFC (Foto: Jason Silva / Divulgação BRAVE)

CARD PRELIMINAR SEM DECISÕES
No card preliminar do Brave 3, neste sábado, os juízes não tiveram trabalho algum nas quatro lutas. Todas elas não chegaram nem mesmo ao terceiro round. Na primeira luta da noite, no peso-pena, Max Lima venceu Bruno Roverso por nocaute já no primeiro round, com 1m50. Na sequência, Cristiano Souza nocauteou o mexicano Cristian Quiñones no segundo round, em duelo do peso-galo.
Na terceira luta do card preliminar, o peso-pena Rogerio Bontorin finalizou o filipino Jon Olivar Jr. no primeiro round, com um estrangulamento. E, para fechar, Marcel Adur venceu o mexicano Ivan Lopez por nocaute técnico aos 2m40 do segundo round, em combate do peso-mosca.
Confira os resultados do Brave 3 - Batalha no Brasil:

CARD PRINCIPAL
No peso-pena, Lucas Mineiro finalizou Fabian Galvan no segundo round
No peso-meio-médio, Carlston Harris nocauteou Thiago Monstro no segundo round
No peso-médio, Marco Pirata venceu Jeremy Smith por decisão dividida
No peso-leve, Luan "Miau" Santiago nocauteou Ivan Castillo no primeiro round
No peso-combinado, Julio Cesar Morceguinho venceu Fernando Colman por decisão unânime
No peso-galo, Felipe Efrain nocauteou Walel Watson no segundo round
CARD PRELIMINAR
No peso-mosca, Marcel Adur nocauteou Ivan Lopez no segundo round
No peso-pena, Rogério Bontorin finalizou Jon Olivar Jr. no primeiro round
No peso-galo, Cristiano Souza nocauteou Cristian Quiñonez no segundo round
No peso-pena, Max Lima nocauteou Bruno Roverso no primeiro round

* O repórter viaja a convite da organização do evento
Postar um comentário