Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Acusado de matar lateral do Boa pega pena mínima e responde em liberdade Júri aceita tese de homicídio em legítima defesa, e Emanuel Soares é condenado a 5 anos no semiaberto. Jogador foi assassinado com 27 anos e comemorava contrato

Por *Colaborou Flaviana Oliveira, da TV Alvorada, de Floriano

O acusado de assassinar o lateral-esquerdo Edson Piauí, em novembro de 2014, foi condenado a cinco anos, sete meses e 23 dias de reclusão no regime semiaberto. O julgamento aconteceu no Tribunal do Júri de Floriano, cidade onde ocorreu o crime. Emanuel Ribeiro Soares, de 30 anos, matou Edson Piauí com dois tiros, disparos no queixo e abdômen, e também o irmão do atleta, o policial militar Eurival Alves de Araújo, depois de uma discussão em uma churrascaria. Edson passava férias no município piauiense ao lado da família, havia disputado a Série B do Campeonato Brasileiro com o Boa Esporte e comemorava um contrato com o Rio Claro, onde iria jogar o Paulistão de 2015. O atleta foi assassinado com 27 anos e deixou uma esposa grávida.
Nove das 11 testemunhas foram ouvidas – cinco de defesa, seis de acusação. Depois de 10 horas de julgamento, o juiz Noé Pacheco proferiu a sentença. A tese sustentada pela defesa de Emanuel Ribeiro, que argumentou legítima defesa, acabou sendo aceita pelos jurados. O acusado de assassinar o jogador vai aguardar em liberdade todo o trâmite do processo. 
Acusado de matar lateral do Boa Esporte em 2014 (Foto: TV Alvorada )Acusado de matar lateral do Boa Esporte em 2014 (Foto: TV Alvorada )
- O julgamento foi por homicídio simples, que tinha a pena máxima de 20 anos e a mínima de seis anos. Os jurados, embora condenando o réu, acolheram a tese defensiva do homicídio privilegiado. Por essa razão, a pena foi reduzida drasticamente e, após essa redução, a pena definitiva ficou de cinco anos, sete meses e 23 dias de reclusão a ser cumprida em regime semiaberto com direito ao recurso em liberdade. Ele vai voltar a ser preso caso a sentença seja mantida – explicou o juiz Noé Pacheco.  
Emanuel Ribeiro fugiu depois do crime e passou quase 10 meses foragido, sendo capturado em agosto de 2015 na cidade de Nova Veneza, em Goiás. Desde então, ele estava preso no presídio de Vereda Grande, em Floriano. No julgamento, Emanuel falou por 15 minutos. O seu advogado reforçou o argumento que o homicídio do jogador aconteceu por causa de uma provocação da vítima.   
Julgamento do acusado de matar Edson Piauí (Foto: TV Alvorada)Julgamento do acusado de matar Edson Piauí (Foto: TV Alvorada)
Juiz do julgamento do assassinato de Edson Piauí (Foto: TV Alvorada)Juiz do julgamento do assassinato de Edson Piauí (Foto: TV Alvorada)
Assassinato Edson Piauí, Floriano  (Foto: CEDOC/TV Alvorada )Assassinato Edson Piauí, Floriano (Foto: CEDOC/TV Alvorada )
- A situação é enfática dos fatos que não dão única opção, de usar a legítima defesa. O fato foi elucidado durante a fase do interrogatório, tanto o conselho de sentença, como quem assistiu ao julgamento, esteja convicto do que aconteceu foi em legítima defesa. O Emanuel agiu atirando nos irmãos porque não tinha outro meio. Foi provocado à noite inteira, ele e sua esposa. Diante da situação, não tinha outra forma de agir senão o que fez – explicou Fleyman Fontes, advogado de defesa.  
Suspeito de matar jogador Edson Piauí é apresentado  (Foto: Reprodução/TV Clube)Suspeito de matar jogador Edson Piauí é condenado (Foto: Reprodução/TV Clube)
Essa, porém, não foi a interpretação da acusação, que pediu duplo homicídio.  
- Ele estava armado, as duas vítimas não sabiam. Ele foi porque sabia que estava armado e quando a confusão começou, sacou a arma e atirou nos dois. Eles estão sustentando que o irmão do Edson estava armado pelo fato dele ser policial militar. Se ele estivesse armado, certamente teria revidado. Ele fez foi correr para se defender dos tiros. O vigilante do posto de saúde foi que o socorreu. Pela lógica, não se revela uma legítima defesa porque não aconteceu – explicou o promotor público Cláudio Soeiro. 
ENTENDA O CASO
Edson foi assassinado no sábado e na segunda-feira estava marcada a apresentação do seu novo clube, o Rio Claro. Segundo o presidente do clube paulista, Edson estava feliz e motivado. Revelado pelo Porto-PE em 2003, o jogador começou profissionalmente aos 16 anos e passou a ficar conhecido quando se destacou pelo Salgueiro em 2011. Em 2012, disputou o Paulistão pelo Mogi Mirim, atuou pelo Oeste no primeiro semestre de 2014 e seu último clube foi o Boa Esporte na Série B do Campeonato Brasileiro. O jogador também teve passagens por clubes como Atlético-PR, Santa Cruz, Náutico e ABC. 
A esposa do jogador estava grávida de três meses quando o crime aconteceu. O GloboEsporte.com fez um especial com a trajetória de Edson, que largou a periferia do interior do Piauí para jogar futebol. Veja no vídeo acima. Na última entrevista, dada em uma rádio de Floriano, quando falou sobre sua carreira, o atleta mandou um mensagem para crianças, pedindo força e para se afastarem do mundo das drogas.    
Edson Piauí, de 27 anos, foi morto com dois tiros no dia 1º de novembro de 2014, durante uma discussão dentro de uma churrascaria em Floriano. Segundo a Polícia Militar, a vítima estava em companhia do irmão que era policial e ficou ferido na confusão com o suspeito dos disparos.
Edson Piauí (Foto: Arquivo Pessoal)Edson Piauí (Foto: Arquivo Pessoal)
"Testemunhas relatam que o jogador discutiu com o suspeito durante uma festa num clube e após sentir-se ameaçado deixou o local, seguindo em direção a casa do seu irmão. Edson pediu que o irmão então o acompanhasse até uma churrascaria e ao estacionar o carro foram abordados pelo atirador", contou, à época, o tenente Roberto Feitosa, do 3° Batalhão da Polícia Militar.
De acordo com o oficial, o suspeito efetuou cinco disparos. Os tiros acertaram o queixo e o abdômen do jogador que morreu no local, e outros atingiram o peito e o tórax do irmão de Edson, que foi encaminhado em estado grave para o hospital regional do município. O policial militar, irmão do jogador, morreu no dia seguinte após não resistir a cirurgia na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Regional Tibério Nunes, em Floriano.
Edson Piauí morreu a tiros (Foto: Divulgação Rio Claro)Edson Piauí (ao centro) (Foto: Divulgação Rio Claro)
Postar um comentário