Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

domingo, 18 de junho de 2017

Brasil sofre com apagões e leva virada da Argentina na Liga Mundial Campeões olímpicos erram bastante e veem rivais vencerem clássico sul-americano pela primeira vez na história da competição internacional

- Já sabíamos que seria uma partida bastante equilibrada e difícil. Jogar contra a Argentina é sempre um clássico internacional. Jogamos um primeiro set muito bom, depois pecamos em excesso de erros e o erro custa caro. Eles fizeram um jogo brilhante, jogaram muito bem, mas isso também não justifica a nossa condição de ter errado mais do que o normal - disse o técnico Renan Dal Zotto.
Momentos marcantes de Argentina 3 x 1 Brasil pela Liga mundial de Vôlei
Pelo segundo jogo seguido, Renan teve à sua disposição o time completo do Brasil. Com exceção do líbero Tiago Brendle, todos os titulares foram campeões olímpicos na Rio 2016. Com Bruninho, Lucarelli, Maurício Borges, Maurício Souza, Lucão e Wallace, a seleção usou a partida em Córdoba para encaixar seu jogo de olho na fase final. O time até começou bem e se impôs no primeiro set, mas errou bastante e teve muitos apagões a partir do segundo set, permitindo a virada da Argentina.
Apesar da derrota, a seleção brasileira se manteve na terceira posição da classificação, com 16 pontos, atrás da França (22 pontos) e da Sérvia (18). Por ser o país-sede, o Brasil está garantido na fase final da Liga Mundial, na Arena da Baixada, em Curitiba, entre 4 e 8 de julho (saiba como adquirir ingressos). Renan vai poder testar seu time uma última vez antes da fase final neste domingo, às 16h10 (de Brasília), quando os campeões olímpicos fecham a primeira fase contra a Sérvia.
- Temos que corrigir os erros rapidamente para este domingo, mas, independentemente de qualquer coisa, a Argentina merece parabéns pelo grande jogo. Eles tiveram calma e tranquilidade para jogar o tempo todo, principalmente nos contra-ataques. Nós tivemos um bom percentual de virada de bola, mas a Argentina esteve mais equilibrada no contra-ataque. Isso faz diferença em uma partida tão disputada - disse Renan.
Campeões olímpicos do Brasil não conseguiram parar a Argentina (Foto: Divulgação/FIVB)
Campeões olímpicos do Brasil não conseguiram parar a Argentina (Foto: Divulgação/FIVB)
A Argentina, por sua vez, deixou a lanterna do Grupo 1, a primeira divisão. Com oito pontos, os argentinos ganham fôlego, mas ainda precisam vencer a Bulgária na última rodada, neste domingo, para não dependerem de uma derrota da Itália ou do Irã para não serem rebaixados na Liga Mundial.
O jogo
A torcida empurrou a Argentina e vaiou o Brasil no começo do jogo, mas os campeões olímpicos estão acostumados com a pressão. Com time completo, a seleção brasileira atropelou no início do jogo (8 a 2). Precisando da vitória para se afastar do rebaixamento, os argentinos, por outro lado, erravam bastante. Aos poucos, os anfitriões entraram no jogo liderados por Alejandro Toro, que fez ponto de saque, de bloqueio e de ataque. Só que o Brasil também tem suas armas de ataque. Bruninho variou bem as jogadas, e os atacantes corresponderam para manter a vantagem e fechar o set em 25 a 19.
A Argentina não apenas equilibrou o duelo como liderou o placar no segundo set (8 a 6). O Brasil sofreu um apagão no meio da parcial. Foram 10 erros dos campeões olímpicos no set. Os anfitriões também montaram um paredão. Foram seis bloqueios para disparar no placar. Depois das broncas de Renan, o Brasil ensaiou uma reação no final, mas já era tarde. A Argentina conseguiu a vitória no set: 25 a 21.
Wallace cresceu no início do terceiro set e puxou o Brasil, que abriu 16 a 12. Só que a Argentina não jogou a toalha. Empurrados pela torcida, os anfitriões reagiram e conseguiram a virada (18 a 17). Os campeões olímpicos falharam na recepção e não conseguiram recuperar a liderança do placar. Embalados, os argentinos fecharam o segundo set por 25 a 22.
Os argentinos mantiveram o ritmo e começaram a quarta parcial abrindo vantagem (6 a 3). O central Éder entrou no jogo e comandou uma reação do Brasil, que chegou a virar (10 a 9). Só que os campeões olímpicos voltaram a sofrer um apagão. A recepção não encaixou, e a Argentina foi abrindo vantagem até fechar em 25 a 19 e confirmar a vitória de virada.
O Brasil na Liga Mundial
Primeira etapa - em Pesaro, na Itália
Sexta-feira (02/06) – Brasil 2 x 3 Polônia (20/25, 25/20, 25/19, 22/25 e 8/15)
Sábado (03/06) – Brasil 3 x 1 Irã (21/25, 25/19, 25/22 e 25/22)
Domingo (04/06) – Brasil 3 x 1 Itália (25/15, 17/25, 25/23 e 25/22)
Segunda etapa - em Varna, na Bulgária
Sexta-feira (09/06) – Brasil 3 x 1 Canadá (23/25, 25/20, 25/22 e 25/23)
Sábado (10/06) – Brasil 3 x 1 Polônia (25/21, 25/20, 17/25 e 25/19)
Domingo (11/06) – Brasil 1 x 3 Bulgária (22/25, 19/25, 25/23 e 19/25)
Terceira etapa - , em Córdoba, na Argentina 
Sexta-feira (16/06) – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/15, 25/19 e 25/22)
Sábado (17/06) – Brasil 1 x 3 Argentina (25/19, 21/25, 22/25 e 19/25)
Domingo (18/06) – Brasil x Sérvia, às 16h10 (com transmissão ao vivo do SporTV 2)
Postar um comentário