Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

sábado, 4 de novembro de 2017

Clássico pernambucano no Arruda tem cabeçada em juiz e polícia em campo

O clássico entre Santa Cruz e Náutico neste sábado, válido pela 33ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, foi tenso, muito tenso. Tudo se encaminhava para um empate por 2 a 2, quando, aos 45 minutos do segundo tempo, o árbitro Thiago Duarte marcou pênalti para o Náutico, em William.
O lance gerou revolta dos dois bancos de reservas e o técnico tricolor, Marcelo Martelotte, acabou expulso por reclamação.
Após William converter a cobrança, os jogadores do Santa Cruz partiram para cima do árbitro novamente. Derley ficou enfurecido, foi expulso e depois de levar o cartão vermelho deu uma cabeçada em Thiago Duarte.
A polícia, então, foi chamada para entrar em campo e proteger a arbitragem. Após mais de 10 minutos de paralisação, a partida foi retomada, e o Náutico venceu o clássico por 3 a 2.
Os dois times estão na zona de rebaixamento. O Santa Cruz tem 32 pontos, um a mais que o Náutico agora. Em 2017, Thiago Duarte acumula mais uma polêmica em clássicos.
No Campeonato Paulista, o árbitro expulsou Gabriel, do Corinthians, por uma suposta falta em Dudu, do Palmeiras, que na verdade foi cometida por Maycon. Após o episódio, Duarte chegou a ficar afastado do apito. 
A partida começou com o Santa Cruz dominando completamente as ações ofensivas. A primeira boa chance veio aos nove, em chute cruzado de André Luís defendido por Jeferson. Bruno Paulo ainda ficou com o rebote, mas finalizou para fora.
O Santa Cruz ainda teve outras duas boas oportunidades. Aos 12, João Paulo pegou de primeira após passe de Bruno Paulo e finalizou muito perto do gol. Já aos 25, foi a vez de Bruno Paulo chutar e carimbar a trave defendida por Jeferson.
Apesar de o Santa Cruz estar melhor na partida, o Náutico aproveitou uma de suas poucas chances para abrir o placar. Aos 33 minutos, William recebeu cruzamento na medida e apenas testou para o gol para balançar a rede e fazer o primeiro dos visitantes.
Depois do gol, a equipe da casa esfriou seu ritmo de jogo e viu o Náutico chegar com perigo mais uma vez aos 36 minutos, em chute de Dico defendido por Júlio César.
Quando o cenário parecia definido para o intervalo, o Santa Cruz ainda conseguiu o empate. Aos 46 minutos, Anderson Salles cobrou falta da entrada área com perfeição e balançou a rede. Jeferson ainda estava no lado da bola, mas não conseguiu evitar o gol na forte finalização, decretando o resultado do primeiro tempo.
A partida voltou eletrizante para o segundo tempo. Aos três minutos, o Santa Cruz conseguiu a virada. Ricardo Bueno recebeu passe pela lateral, foi até a linha de fundo e cruzou. Lá estava João Paulo, que testou firme e estufou a rede para colocar os mandantes na frente.
Logo após o gol, o Náutico quase empatou. Aos quatro, Dico recebeu livre na área e finalizou. Preciso, Anderson Salles apareceu em cima da linha para evitar o gol. Na sequência, o Santa Cruz ainda teve duas chances. Aos cinco, André Luís chutou muito perto. Já aos sete, Derley arriscou de longe e obrigou Jeferson a trabalhar.
Apesar das oportunidades, foi o Náutico quem marcou novamente. Aos 13 minutos, Rafinha cruzou a bola na pequena área, a defesa do Santa Cruz cochilou e ela sobrou livre para William. O atacante apenas empurrou para a rede e deixou tudo igual mais uma vez.
Depois do ritmo forte no início, os jogadores sentiram o cansaço dentro de campo e a intensidade de jogo diminuiu. Com isso, as equipes fizeram uma série de substituições para a reta final da partida.
Apesar das modificações, o ritmo de jogo permaneceu lento por muito tempo, pegando fogo somente no final. Aos 41, Rafinha pegou sobra de bola no campo de ataque e teve uma chance de ouro para dar a vitória ao Náutico. No entanto, ele isolou, desperdiçando oportunidade incrível.
Na sequência, o Santa Cruz respondeu em duas oportunidades. Aos 42, Jeremias finalizou de primeira, mas mandou para fora. Já aos 43, foi a vez Ricardo Bueno chutar para defesa segura de Jeferson.
Quando o jogo já se encaminhava para o empate, o Náutico conseguiu garantir a heroica vitória. Aos 45, William recebeu após contra-ataque e foi derrubado pelo goleiro Júlio César dentro da área.
O árbitro viu infração e assinalou o pênalti. William foi para a cobrança aos 49 e soltou uma bomba para fazer seu terceiro na partida e recolocar o Náutico na frente.
Após o gol, a partida ganhou cenário de confusão, com muita discussão e Derley sendo expulso após reclamar acintosamente com o árbitro de um pênalti em cima de Augusto, a favor do Santa Cruz. Apesar dos ânimos exaltados, o Náutico conseguiu segurar a vantagem e garantir a importante vitória.
Postar um comentário