Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

FFP remarca finais e irrita azulinos: “Um crime que estão fazendo com o Parnahyba” Federação de futebol agenda decisão da Copa Piauí antes de julgamento de recurso do Tubarão no Pleno e enfurece diretoria: "Condenado à pena de morte antes de ser julgado"

Por Stephanie Pacheco e Renan Morais, Teresina

notícia de que os jogos da final da Copa Piauí foram reagendados pela Federação de Futebol do Piauí antes do julgamento do clube no Pleno do TJD-PI, previsto para quarta,pegou dirigentes do Parnahyba de surpresa e gerou uma revolta nos arredores do clube. Indignado, o presidente azulino, Batista Filho, ameaçou recorrer em todas as instâncias possíveis caso as finais aconteçam antes da elucidação total do Caso Garcês no STJD. Uma reunião com o setor jurídico do Tubarão vai definir a estratégia do Azulino.
Batista Filho e Miguel Bezerra vão recorrer sobre datas da final da Copa Piauí (Foto: Josiel Martins)Batista Filho e Miguel Bezerra vão recorrer sobre datas da final da Copa Piauí (Foto: Josiel Martins)Batista Filho e Miguel Bezerra vão recorrer sobre datas da final da Copa Piauí (Foto: Josiel Martins)
- Estamos reunidos com nossos advogados e analisando aqui onde vamos recorrer. É um crime o que a federação (de Futebol do Piauí) está fazendo com o Parnahyba. Por isso o futebol não vai para frente. É uma vergonha porque essa mesma federação que marcou a final pediu suspensão do nosso jogo contra o 4 de Julho um dia antes de acontecer – indagou o presidente.
A FFP emitiu comunicado reagendando as finais do torneio sub-21 para os dias 4 e 11 de novembro. Isso aconteceu no mesmo dia que o TJD-PI marcou o julgamento do Caso Garcês para quarta-feira. Segundo Batista Filho, o presidente da FFP, Cesarino Oliveira, entrou em contato com ele através de ligação telefônica para explicar a decisão de remarcar os duelos.
- O Cesarino me ligou e ele passou mais de uma hora tentando justificar o injustificável. Isso é um absurdo, e eles estão nos condenando à morte antes mesmo do julgamento. É certeza que vamos recorrer ao STJD e onde for preciso para parar com essa palhaçada – completou o dirigente azulino.
Presidente da FFP rebate críticas do Parnahyba e garante amparo legal para remarcar finais da Copa Piauí (Foto: Wenner Tito )Presidente da FFP rebate críticas do Parnahyba e garante amparo legal para remarcar finais da Copa Piauí (Foto: Wenner Tito )Presidente da FFP rebate críticas do Parnahyba e garante amparo legal para remarcar finais da Copa Piauí (Foto: Wenner Tito )
Procurado pela reportagem, Cesarino Oliveira defendeu a medida adotada pela entidade que organiza o torneio sub-21. De acordo com o dirigente, não há impedimentos legais para o novo agendamento das datas da final da Copa Piauí.
- Não tem justificativa. A federação é independente, e, na justiça brasileira, temos três tipos: a comum, do trabalho e a desportiva. O Superior Tribunal de Justiça diz que as ações julgadas em 2ª instância devem ser cumpridas. O 4 de Julho está se sentindo prejudicado e eu não sei quem vai ganhar. Se o Parnahyba ganhar, o que acontece? O jogo está marcado, e eu sou o bom? Somos transparentes e baixamos essa portaria antes porque não existe o que não podemos marcar. Se eles acham que estão sendo prejudicados, que eles recorram ao TJD-PI. É direito deles - declarou o presidente.
Tudo começou, quando a FFP denunciou o Parnahyba após a suposta escalação irregular do atacante Felipe Garcês durante todo o segundo turno da Copa Piauí. A notícia de infração enviada pela federação foi arquivada pela Procuradoria da Comissão Disciplinar, mas o River-PI recorreu da decisão à Procuradoria Geral do TJD-PI. O pedido foi acatado e julgado pela primeira instância. Na decisão da Comissão Disciplinar, o Parnahyba foi punido com a exclusão da Copa Piauí, além do pagamento de multa de R$ 1mil.
O novo julgamento foi marcado após o Parnahyba protocolar recurso na segunda instância do Tribunal de Justiça Desportiva local. O clube usa os mesmo argumentos utilizados na primeira defesa e se respalda em regras da CBF para competições de base.
Postar um comentário