Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Enganado pela 2ª vez, presidente fica irado: "Futebol só dá para gente moleque" Depois de ver goleiro acertado com 3 times ao mesmo tempo, dirigente do Parnahyba leva novo susto no mercado da bola. Agora, ele perde volante para o Campinense e desabafa: "Não dá mais"

Por Arthur Ribeiro e Josiel Martins, Teresina

or mais uma vez, o Parnahyba sofreu uma baixa no elenco, antes mesmo de começar os treinos da pré-temporada. O meia Vitor Recife, anunciado no fim de novembro pelo clube piauiense, se apresentou em outro clube, mesmo tendo assinado pré-contrato com os dirigentes do Azulino. Pela segunda vez, em menos de um mês, o Parnahyba sofreu "um balão" no mercado da bola. A primeira foi com o goleiro Dida, que também tinha acerto com o Azulino, divulgado nas redes sociais do clube, mas acabou fechando com o Asa. Os fatos levaram o presidente do clube Batista Filho a ficar irado, ao ponto em pensar abandonar o futebol.
Batista Filho Parnahyba (Foto: Wenner Tito )Batista Filho Parnahyba (Foto: Wenner Tito )Batista Filho Parnahyba (Foto: Wenner Tito )
- Rapaz, o futebol só dá para gente moleque mesmo. Para mim eu acho que não dá mais. Eu faço minhas coisas tudo corretamente, onde eu passei e aqui no Parnahyba. Depois que eu entrei, ajustei tudo o que tinha pendente, tudo transparente. Aí vem um cara desses, fecha um pré-contrato com a gente e vai e se apresenta no Campinense, e é porque até dinheiro adiantado eu passei para ele - afirmou Batista Filho.
O presidente completou que falta confiança no futebol.
- Vou dar a baixa no pré-contrato dele. Foi a mesma situação que aconteceu com aquele s@*#$ do Dida. Cerca de 70% dos jogadores a gente não pode confiar. O Vitor Recife estava se oferecendo para vir ao Parnahyba, aí agora faz uma coisa dessas – afirmou Batista Filho.
O dirigente acredita que a ida do meio-campo tenha acontecido por conta da oferta do Campinense, superior a apresentada pelo time piauiense. Batista diz que não vai entrar em leilão pelo atleta. Sobre um novo reforço para substituir Vitor, o Parnahyba ainda não tem um nome definido.
- Isso é um leilão, o cara fica apalavrado com o clube, acerta com o cara, confia no cara e ele fecha com outro time. É molecagem demais. O próprio Globo Esporte entrevistou o Vitor e ele falou que estava fechado com o Parnahyba. Vamos procurar outro nome, não tínhamos ninguém além dele em mente, pois isso acabou nos pegando de surpresa, mas nós vamos procurar outro nome, para mim não tem jogador insubstituível. O que me deixou triste foi a situação dele ter tido o comprometimento e ter abandonado na maior tranquilidade. Ele me pediu o dinheiro adiantado, passei para ele. Mas agora é só ele devolver o dinheiro que eu rasgo o pré-contrato – destacou o presidente.

Vitor Recife: "Infelizmente não foi dessa vez"

Vitor Recife revelou que a diferença do tempo de vínculo contratual oferecido pelos dois clubes foi determinante para a mudança de planos.
- O tempo de contrato aqui (Campinense) é maior. No Parnahyba, eram quatro meses e aqui são dez meses. Aqui vai disputar o Brasileiro. Tenho família e preciso de uma estabilidade financeira. Tenho muita vontade de jogar no Parnahyba, mas infelizmente não foi dessa vez - declarou o jogador.
Vitor Recife (Foto: Reprodução/Instagram)
Vitor Recife (Foto: Reprodução/Instagram)
Vitor Recife (Foto: Reprodução/Instagram)

Caso Dida

O Parnahyba anunciou o goleiro Dida como principal reforço do setor, mas o jogador havia sido anunciado pelo Serrano-PB no dia 1º de novembro, e, acabou acertando com o ASA segundo dirigentes do clube alagoano no início de dezembro. Batista Filho se irritou com o ocorrido e classificou como “molecagem” o episódio. O goleio reagiu com surpresa às declarações e disse que o dirigente piauiense declarou uma “inverdade” de forma “desrespeitosa”.
O fato levou o time a fazer uma blindagem. José Paulo, dirigente do Parnahyba, alertou a membros do setor de marketing do time para tomar cuidado com a divulgação de forma antecipada em redes sociais de atletas, que estavam acertados verbalmente. Desta vez, o problema de Vitor Recife foi o descumprimento de acordo.
Apesar da existência de contratempos, o clube busca se reforçar o quanto antes do início da pré-temporada no dia 20 de dezembro. A estreia no estadual será dia 21 de janeiro, às 16h, contra o Flamengo-PI, no estádio Pedro Alelaf, em Parnaíba.
Postar um comentário