Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

domingo, 14 de janeiro de 2018

A atacante piauiense que joga por duas na seleção sub-20

Na Esportiva

  • valeria-01.jpgFoto: Fábio Lima/Cidade Verde
  • valeria-02.jpgFoto: Fábio Lima/Cidade Verde
  • valeria-03.jpgFoto: Fábio Lima/Cidade Verde
  • valeria-04.jpgFoto: Fábio Lima/Cidade Verde
  • valeria-05.jpgFoto: Fábio Lima/Cidade Verde
  • valeria-06.jpgFoto: Fábio Lima/Cidade Verde
  • valeria-07.jpgFoto: Fábio Lima/Cidade Verde
Elas já parecem gêmeas na fisionomia e ainda usam o mesmo corte de cabelo e possuem três tatuagens idênticas nos braços. Para completar, as duas cresceram jogando futebol e vestiram a camisa da Sociedade Esportiva Tiradentes. Mas o destino levou uma para a seleção brasileira, enquanto a outra se recupera de lesão. 
Na noite deste domingo (14), a atacante Valéria defende a seleção brasileira no Sul-Americano Sub-20, no Equador. O Brasil estreia às 21h15 (horário de Teresina) contra o Chile, em busca de uma das vagas na Copa do Mundo deste ano. 
Na torcida, ficaram os amigos e a família, além da irmã mais velha Vanessa Cantuário, 21 anos. No povoado David Caldas, em União, região da Grande Teresina, a jogadora do Tiradentes aguarda pelos gols da irmã e também por uma cirurgia para se recuperar da ruptura do ligamento de um dos joelhos. 
- Ela está tentando por mim. Mas eu vou conseguir fazer minha cirurgia. Enquanto ela está jogando, ela está por mim e por ela. 
Vanessa Cantuário, 21 anos, jogadora do Tiradentes
Talvez seja jogando por duas que Valéria tenha conseguido seu lugar na seleção sub-20. A piauiense afirmou já ter propostas de oito clubes desde que se garantiu no grupo do técnico Doriva Bueno. Tudo isso sem esquecer de Vanessa.
Valéria admite que se inspirou na irmã não só no futebol, mas também no corte de cabelo. A mãe, dona Francilene Moura, confirma. Um dia, Vanessa resolveu mudar a cabeleira. Depois que viu a novidade, Valéria acompanhou. 
A mãe da atacante é outra integrante da família empolgada com o sucesso da filha. Aliás, não só ela como toda a comunidade na zona rural de União. 
- Lá tá muito bom, todo mundo animado, todo mundo dando força, principalmente a família. O que eu puder fazer por ela, eu faço. 
Por hora, o que todos podem fazer é torcer por Valéria e pela seleção sub-20. O bom desempenho no Sul-Americano pode valer vaga na Copa do Mundo, na França, o que significaria voos mais altos para a atacante piauiense. E voando alto, ela volta ao Piauí para levar a Vanessa junto
Postar um comentário