Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

terça-feira, 29 de maio de 2018

Stephen Curry brilha, Warriors batem os Rockets e estão na final da NBA Armador comanda a virada no segundo tempo, fica muito perto do triplo-duplo e leva o time a quarta final seguida contra o Cleveland Cavaliers.

Stephen Curry brilha, Warriors batem os Rockets e estão na final da NBA
Por SporTV.com, Houston, Estados 


O Houston Rockets lutou como nunca no primeiro tempo. Jogou com uma energia contagiante. Terminou 11 pontos na frente. Mas é difícil manter esse ritmo por toda a partida. Ainda mais contra um rival que tem tantas armas ofensivas. Desta vez, Stephen Curry foi o responsável por comandar a reação. Com uma atuação impressionante no terceiro quarto, o armador terminou a partida com 27 pontos, 9 rebotes, 10 assistências, 4 roubadas de bola e 1 toco. Foi o 11º jogo da carreira de Curry nos playoffs com pelo menos 7 bolas de três pontos, recorde na Liga. E a NBA vai ver pelo quarto ano seguido uma final entre Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers. Um confronto que vem marcando época e fazendo história.
Sem Chris Paul, vetado momentos antes da partida por causa de uma lesão muscular, o provável MVP da temporada James Harden foi irregular e não conseguiu levar, sozinho, o Houston à final. A vitória por 101 a 92 dos Warriors teve ainda a participação fundamental de Kevin Durant (34 pontos, 5 rebotes e 5 assistências) e Klay Thompson (19 pontos). A equipe de Oakland fechou a série em 4 a 3 e levou o título da Conferência Oeste da NBA.
- O basquete é um jogo de 48 minutos. Não importa se a gente joga mal em um algum momento, se você erra bolas. O importante é que a gente sabe que é preciso manter o foco, que uma hora vamos começar a acertar. Tem acontecido isso com a gente - disse Stephen Curry.

Assista aos melhores momentos da partida:

Melhores momentos: Golden State Warriors 101 x 92 Houston Rockets pela NBA
James Harden terminou a partida com 32 pontos. Mas viu os Rockets forçarem de forma excessiva os arremessos de três pontos. A péssima pontaria de 7 para 44 (15,9% de aproveitamento) fez a diferença na partida. A equipe do Texas chegou a errar 27 tentativas seguidas. Trevor Ariza ficou zerado (0-12 FGs). O brasileiro Nenê não chegou a entrar em quadra. No fim do duelo, o experiente pivô consolou o jovem Clint Capela, que foi um gigante no garrafão e terminou o jogo com 20 pontos (9-10 FGs e 9 rebotes), e foi para o vestiário chorando.
A final da NBA entre Golden State Warriors, campeão da Conferência Oeste, e Cleveland Cavaliers, vencedor da Conferência Leste, começa na próxima quinta-feira, a partir das 22h. A ESPN transmite ao vivo. Golden State foi campeão em 2015 e 2017, e perdeu para os Cavs em 2016. Para muitos, a decisão da Conferência Oeste era também uma final antecipada da NBA, apesar de no outro lado ter LeBron James em seu melhor momento técnico, físico e mental da carreira.
O jogo começou estranho. O Houston tentava dar um ritmo acelerado e forçando as infiltrações para buscar as faltas. E com Klay Thompson cometendo três faltas com menos de quatro minuto de partida. Com isso, uma das principais armas dos Warriors e principal nome da vitória no jogo 6 foi para o banco. Shaun Livingston entrou. E a disputa ficou mais equilibrada. Eric Gordon com uma cesta de três pontos deixou os Rockets em vantagem: 15 a 9. Veio então um festival de arremessos errados dos dois lados. Quase três minutos sem uma cesta. James Harden, então, resolveu ter mais calma e bater para cima da marcação de Jordan Bell, levando sempre vantagem. Com isso, foi acumulando pontos. Ele terminou o primeiro quarto com 14. Pelos Warriors, Kevin Durant marcou oito pontos. Mas os primeiros 12 minutos se destacou pelo baixo aproveitamento dos dois times. Os Warriors tiveram 35% (7-20 FGs) e os Rockets, 31,8% (7-22 FGs). No placar, Houston 24 a 19.
1º quarto: Harden acerta arremesso de três e sofre a falta
O segundo quarto começou com Klay Thompson de volta para a quadra. E com James Harden descansando um pouco (havia quem apostava que sem Chris Paul, o Barba jogaria todos os 48 minutos como LeBron James havia feito na véspera). Mas os Rockets aumentaram o ritmo. Com a torcida empurrando o time, veio uma linda ponte aérea linda finalizada por Clint Capela e 11 pontos de vantagem: 34 a 23. Steve Kerr foi obrigado a pedir tempo. A tática dos Rockets era deixar Draymond Green mais livre no ataque e dobrar a marcação em Kevin Durant e Stephen Curry. Foi dando certo. O Houston chegou a abrir 48 a 33. Capela fazia a diferença com três rebotes ofensivos e dez pontos. Outro que colaborava muito era PJ Tucker com sete pontos e mais cinco rebotes ofensivos. A energia que os Rockets colocavam em quadra era impressionante. Novo tempo de Steve Kerr. O jogo recomeçou com James Harden reclamando muito da arbitragem - com razão - por causa de duas faltas não marcadas em arremessos de três pontos. E o primeiro tempo terminou 54 a 43 para os Rockets, com o Barba sendo o cestinha da partida com 16 pontos. Coração dos Warriors, Draymond Green teve quatro turnovers e estava apagado em quadra. Dava para entender porque os Warriors jogaram mal.
2º quarto: Mais uma ponte aérea entre Harden e Capela
Veio o terceiro quarto. Aquele que os Warriors normalmente têm jogado melhor nos playoffs. Klay Thompson fez a quarta falta e foi para o banco. Parecia que a recuperação não aconteceria. Mas o Houston começou a forçar muito as bolas de 3 pontos. Com um aproveitamento horrível até então de 6-30 (20%). Eric Gordon conseguiu dar um air ball (quando a bola nem bate no aro no arremesso) e uma tijolada (arremesso que sai todo errado normalmente com muita força) no mesmo ataque. Neste momento, a diferença caia para cinco pontos: 58 a 53. E o apagão não terminava. Trevor Ariza e Gerald Green estavam com uma péssima pontaria. Eric Gordon parou de acertar. Harden tentava buscar muito o contato em busca das faltas e também falhava. A bola de segurança dos Rockets passou a ser Clint Capela. Mas era pouco. E aí começou o show de bolas de 3 pontos de Stephen Curry. Foram três seguidas. E os Warriors não só assumiram a liderança como abriram vantagem: 72 a 63. O silêncio tomava conta do ginásio. Chris Paul ficava inconformado no banco por causa dos erros de ataque dos Rockets. O terceiro quarto arrassador terminou 33 a 15 para os Warriors. E 76 a 69 no placar.
3º quarto: Curry acerta arremesso de três e Warriors encostam no placar
Último quarto e os Rockets voltaram para o tudo ou nada. Barba tentava acalmar o time. Mas a equipe chegava a um número impressionante: 27 erros seguidos em tentativas de arremessos de três pontos. Ariza estava com 0 de 8 na longa distância. Ficava difícil buscar uma recuperação. Klay Thompson voltou para a quadra e foi fatal. Com os tradicionais arremessos de três pontos nos momentos vitais da partida, deu a tranquilidade necessária ao time para administrar a vantagem. Kevin Durant passou a ter também a segurança tradicional nas bolas. O desespero passou a bater nos Rockets. E o Golden State confirmava o favoritismo. A NBA terá o capítulo 4 entre Warriors e Cavaliers na final.

Final da Conferência Oeste da NBA

Houston Rockets (1º) 3 x 4 Golden State Warriors (2º)Jogo 1 - 14/5 - Houston Rockets 106 x 119 Golden State Warriors
Jogo 2 - 16/5 - Houston Rockets 127 x 105 Golden State Warriors 
Jogo 3 - 20/5 - Golden State Warriors 126 x 85 Houston Rockets
Jogo 4 - 22/5 - Golden State Warriors 92 x 95 Houston Rockets
Jogo 5 - 24/5 - Houston Rockets 98 x 94 Golden State Warriors
Jogo 6 - 26/5 - Golden State Warriors 115 x 86 Houston Rockets
Jogo 7 - 28/5 - Houston Rockets 92 x 101 Golden State Warriors
Postar um comentário