Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Vasco quita direitos de imagem de 2018 e aguarda Caixa para diminuir dívidas Com dinheiro da venda de Paulinho, diretoria acerta pagamentos de ano corrente e parte de atrasados de 2017. Restam ainda alguns débitos do ano passado

Por Bruno Giufrida e Raphael Zarko, Rio de Janeiro
O alívio financeiro com a venda de Paulinho ainda faz o Vasco respirar. O clube regularizou os direitos de imagem de alguns jogadores no ano corrente, além de algumas pendências de 2017. Uma operação financeira foi realizada com o dinheiro da venda do atacante Paulinho ao Bayer Leverkusen (ALE), por 18,5 milhões de euros.
Jogadores que têm altas dívidas de direitos de imagens, casos de Martín Silva, Wagner e Andres Rios receberam parte do pagamento nesta quarta-feira. Ainda falta pagar dezembro, 13º e férias. Parte deste débito será quitado com a verba do patrocínio da Caixa Econômica Federal - o Vasco ainda não colocou a mão no dinheiro do banco estatal, que já não é mais patrocinador do clube. Há parcela deste montante depositado em juízo.
Paulinho ao lado do presidente Alexandre Campello: negociação gerou alívio financeiro ao Vasco  (Foto: Paulo Fernandes / Vasco)Paulinho ao lado do presidente Alexandre Campello: negociação gerou alívio financeiro ao Vasco  (Foto: Paulo Fernandes / Vasco)Paulinho ao lado do presidente Alexandre Campello: negociação gerou alívio financeiro ao Vasco (Foto: Paulo Fernandes / Vasco)
O Cruz-Maltino ainda tem alguns débitos com os jogadores, referentes a alguns meses de direitos de imagem do ano passado, o último da gestão Eurico Miranda. O fôlego financeiro promete ajudar o Vasco na busca por reforços e na negociação com Rios, que tem contrato até julho. A diretoria do clube quer baixar os valores pela permanência do atacante argentino.
O Vasco já tem outros objetivos em vista com o dinheiro da venda de Paulinho: pagar cerca de R$ 26 milhões de dívidas à Receita Federal e repassar os R$ 10 milhões emprestados por Carlos Leite, empresário do jogador, no início do ano.
Postar um comentário