Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

terça-feira, 31 de julho de 2018

Com gols nos acréscimos, Bahia e Atlético-MG ficam no empate

Quando duas equipes de raça, que acreditam até o fim entram em campo, tudo pode acontecer. O empate por 2 a 2 entre Bahia e Atlético, na noite desta segunda-feira, na Arena Fonte Nova, mostrou muito bem isso.
Atlético e Bahia ficaram no empate, por 2 a 2 (Foto: Bruno Cantini / Atlético)
Em duelo válido pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, o jogo estava 1 a 0 para o Galo até os 35 minutos do segundo tempo. O Bahia, porém, teve raça e empatou.
O Atlético, no entanto, briga até o fim. Foi para cima, mesmo jogando longe de Belo Horizonte, e, com Ricardo Oliveira, conseguiu desempatar, isso aos 46 da etapa complementar. Quando os alvinegros comemoravam, o Tricolor Baiano buscou novamente o empate, aos 48.
Quem vê os últimos minutos do duelo animados, com chances e emoção, porém, pode até pensar que foi assim o jogo inteiro. Não foi. O Atlético abriu o marcador no início do jogo, com Matheus Galdezani. Após o tento, o clube mineiro teve ainda mais uma chance e nada mais. O Bahia lutou, mas a grande posse de bola era figurativa: chances reais pouco aconteceram. 
O segundo tempo foi, até os 35, basicamente como na etapa inicial. Um Galo se defendendo e criando pouco, apostando nos contra-ataques, mas muito limitado. O Tricolor agredia, mas batia e assoprava.
O resultado é bom para o Atlético que ganha uma posição, mas fica na quarta colocação, com 27 pontos conquistados. O Bahia, por sua vez, escapa momentaneamente do Z4, fica na 15ª colocação, com 17 tentos.
Na próxima rodada, o Bahia vai ao Rio de Janeiro e enfrenta o Fluminense, no domingo, às 19h (de Brasília). Já o Galo recebe o Internacional, na próxima segunda-feira.
O Atlético entrou em campo com alguns problemas para o duelo contra o Bahia. Na defesa, o zagueiro Leonardo Silva, titular e mais experiente, não viajou com o restante do elenco reclamando um desgaste físico. Ficou em Belo Horizonte para fazer trabalho específico. 
Na esquerda, Fábio Santos se lesionou e ficará fora por um período maior. Nas vagas, Maidana seguiu no time e Gabriel retornou. Na esquerda, o zagueiro Juninho foi improvisado na posição. Porém, dois importantes retornos aconteceram: Luan e Matheus Galdezani, ambos titulares.
Antes de fazer qualquer analise do jogo, o reforço Galdezani já fez a diferença. Logo aos 4 minutos de jogo, em contra-ataque rápido, Chará escorou para o volante que chutou com a perna direita e colocou no fundo das redes.
O Bahia se irritou com o gol sofrido de maneira rápida. O time da casa, como era esperado, buscou o ataque com velocidade. Com isso, os espaços ficaram abertos. Minutos após o primeiro tento, o Galo conseguiu outro contra-ataque e, por pouco, Ricardo Oliveira não conseguiu alcançar a bola para ampliar.
Aos 8 minutos, Léo aproveitou o rebote após a cobrança de escanteio e chutou forte. O goleiro Victor conseguiu ótima defesa.
Com a luta para empatar, o Bahia passou a dominar o jogo completamente. Porém, não conseguiu converter seu maior volume em jogadas realmente claras de gol. Diante disso, o time da casa tentava criar pelas pontas, jogava bolas na área, mas não fazia nada além.
A volta do intervalo, o jogo voltou bastante parecido. O Galo procurando se fechar e valorizar a pouca posse de bola que tinha e o Bahia atacando em busca de, pelo menos, o empate.
Aos 15 minutos o Bahia teve uma grande oportunidade. Em cobrança de escanteio, Tiago subiu sozinho e desviou de cabeça com muita força. O goleiro Victor foi pego de surpresa e nada podia fazer, mas a redonda foi para fora.
No lance seguinte o Galo quase amplia. Em cruzamento de Patric, o zagueiro Tiago, que antes quase marcou um gol favor, desta vez jogou contra o patrimônio e, por pouco, não faz para o Atlético.
O Atlético mandou Cazares a campo para ter uma melhora na saída de campo. O Bahia, porém, seguiu melhor em campo, tentando o gol. O Galo em dois contra-ataques teve oportunidades para conseguir ampliar a vantagem.
O empate do Bahia nasceu em um erro do volante Elias. O camisa 7 atleticano não tocou a bola para sair jogando e ficou reclamando uma falta. O time baiano saiu jogando rápido e, aos 38, Gilberto chutou forte e colocou no fundo das redes.
Em ótima jogada de Chará, aos 46, ele encontrou Ricardo Oliveira em ótima posição e o camisa 9 do Galo colocou para dentro. Quando a torcida do Atlético comemorava a vitória, aos 48, Regis chutou de dentro da área e conseguiu o empate.

Fonte: Gazeta Esportiva
Postar um comentário