Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Italiano some da TV após 36 anos e não terá transmissão em português

EDUARDO GERAQUE
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS)
Em inglês pela internet ou em italiano na TV. Após 36 anos, o torcedor brasileiro que acompanha o Campeonato Italiano não terá, pelo menos por enquanto, como assistir em português e na televisão ao vivo os lances das partidas.
Nenhuma emissora brasileira fechou o contrato para transmissão da Série A, que começa neste sábado (18). A IMG, empresa de marketing esportivo que detém os direitos dos jogos, ainda não desistiu das negociações. Mas como o desfecho não ocorreu, a própria empresa multinacional resolveu lançar o seu próprio serviço de streaming, que vai transmitir todos os jogos ao vivo. As narrações, pelo menos no início, serão em inglês.
A outra opção que o torcedor tem é assistir aos jogos pela RAI Internacional. A emissora italiana está disponível nos pacotes mais caros das principais operadoras de TV por assinatura que operam no Brasil.
Em italiano, a RAI anuncia em sua programação a transmissão de dois jogos para este sábado (18). Chievo e Juventus, às 13h, e Lazio e Napoli, às 15h15. Ambos pelo horário de Brasília.
O Campeonato Italiano começou a surgir para o público brasileiro na primeira metade dos anos 1980. Quando Falcão, que ficou conhecido como o Rei de Roma, participou da campanha vitoriosa da equipe da Roma na temporada 1982/1983.
Segundo o jornalista Silvio Lancelotti, a partir de 1982, o Calcio nunca mais deixou de ser transmitido ao público brasileiro. 
"Não haver transmissão agora [pela televisão e em português], principalmente com a ida de Cristiano Ronaldo para a Juve, será lastimável para o público e um grande equívoco comercial para as televisões do Brasil", diz o jornalista.
"As transmissões começaram na Globo em 1982. Eu comecei na Bandeirantes, na temporada 1984/1985, quando a Hellas Verona foi a campeã", diz o ex-colunista da Folha de S.Paulo.
Lancelotti continua sendo rigoroso com os artigos usados antes dos nomes das equipes italianas. Por uma questão de tradição, ele nunca se referiu a Juventus, por exemplo, como sendo uma palavra masculina. Em uma coluna na Folha, em 1985, ele publicou um glossário para explicar como cada umas das equipes da então primeira divisão eram historicamente chamadas na Itália.
Na Globo, no início, se convencionou chamar todas as equipes pelo masculino. Mas depois, na Bandeirantes, o jornalista fez questão de mudar o tratamento dado aos times.
Os jogos do Italiano haviam chegado à Rede Bandeirantes de Televisão um ano antes de Lancelotti, arquiteto de formação, começar a comentar as partidas por insistência do próprio narrador Luciano do Vale.
Dentro do Show do Esporte, programa que marcou época entre os anos 1980 e 1990, as primeiras transmissões contaram com a dupla Luciano do Valle (1947-2014) e Flávio Prado, atualmente apresentador na TV Gazeta e comentaria da rádio Joven Pan.
O jornalista Antero Greco, hoje nos canais ESPN, também comentou as primeiras partidas do Italiano na Band, lembra Lancelotti. Os jogos no Brasil eram quase sempre entre o fim da manhã e o início da tarde.
Depois de Falcão, Zico, e Sócrates, o interesse brasileiro sobre os times italianos continuou. Na temporada 1989/1990 foi a vez do Napoli de Maradona, Careca e Alemão vencer o Scudetto.
Mesmo quando as emissoras por assinatura começaram a operar no Brasil, a tradição do Italiano permaneceu.
Em 1994, segundo Lancelotti, a ESPN começou a transmitir também. A emissora por assinatura perdeu os direitos em 2012. A Fox Sports, até este ano de 2018, era a emissora que comprava o sinal de transmissão.
Postar um comentário