Federação das Industrias do Estado do Piauí

Federação das Industrias do Estado do Piauí

O melhor do esporte é aqui !

CURTA A FANPAGE NO FACEBOOK

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Palmeiras quase reserva empata com o América-MG na volta de Felipão

A reestreia de Luiz Felipe Scolari no Palmeiras parecia promissora, mas acabou no empate com o América-MG, em 0 a 0, neste domingo, no estádio Independência.
América-MG e Palmeiras ficaram no empate sem gols em Belo Horizonte (Foto: Cesar Greco/Divulgação)
O novo treinador escalou uma equipe quase reserva, que até começou bem, mas perdeu mais um pênalti, agora com Jean. O resultado mantém o Verdão fora do G4 após 17 rodadas no Brasileiro. 
A boa notícia foi o retorno de Borja depois de quase três meses. O centroavante jogou para ganhar ritmo, pensando no mata-mata da Libertadores, que começa quinta, no Paraguai.
A primeira escalação desta nova passagem de Felipão só teve dois titulares mantidos da partida contra o Bahia: Weverton e Moisés. O técnico do Palmeiras desconversou quando foi perguntado por que poupou, mas o motivo está na partida contra o Cerro Porteño (PAR), pelas oitavas de final da Libertadores, em Assunção. Borja, recuperado de uma artroscopia, foi a principal novidade.
Depois de um jogo mais brigado do que inspirado contra o Bahia, o Verdão começou bem no Independência, com a bola no chão. O caminho poderia ter sido facilitado, quando Moisés sofreu pênalti de Matheus Ferraz. Só que assim como aconteceu na Fonte Nova, o time desperdiçou: Jean cobrou mal, para fácil do goleiro João Ricardo, que também se adiantou na hora da batida.
A marcação no campo do ataque que funcionou para o Palmeiras no primeiro tempo foi perdendo intensidade no decorrer da segunda etapa. E o domínio que se via antes do intervalo deixou de ocorrer, tanto que a chance mais perigosa foi do próprio América-MG, com um chute de Ruy que parou na trave. 
O Verdão, mais moroso, chegou pouco. João Ricardo, goleiro do Coelho, foi mais incomodado por um problema estomacal do que pelo próprio adversário.
Mesmo que com um time praticamente reserva, Felipão viu o Palmeiras não fazer valer o bom início e perder a chance de colar na briga pela liderança: a distância segue em oito pontos, já que o São Paulo venceu o Vasco e assumiu a ponta.
Adilson Batista havia dito antes do jogo que Luiz Felipe Scolari é um dos “pais” que o futebol lhe deu. Pois o técnico deu trabalho ao mestre e manteve-se invicto no Coelho: são duas vitórias e um empate. A equipe se mantém distante da zona de rebaixamento, a meta no Brasileiro.

Fonte: Lance
Postar um comentário